União do Norte: Mulher que matou marido policial é condenada a 14 anos de prisão.


Deise Ribeiro de Oliveira, de 25 anos, foi condenada a 14 anos de prisão em regime inicial fechado por fraude processual e homicídio qualificado do policial militar Moshe Dayan Simão Kaveski, 28 anos. O julgamento ocorreu em Peixoto de Azevedo na última sexta-feita, mas os dados só foram divulgados, ontem, no Diário da Justiça Eletrônico. Ela está cumprindo pena na cadeia feminina de Colíder.

Deise foi presa em flagrante pela morte de Kaveski, que era marido dela, em dezembro do ano passado, com pelo menos quatro tiros, no portão da casa dele, em União do Norte, que é distrito de Peixoto.

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado na época, os disparos foram feitos com uma pistola calibre 380, atingiram a cabeça e o abdômen do policial que acabou falecendo ainda no local. Devido às contradições apresentadas, sua mulher foi detida logo após o crime.

Em sua versão inicial, a mulher contou para a polícia que ambos tinham sido abordados por uma pessoa “baixa, gorda e vestindo roupas escuras”. Depois, afirmou que eram duas pessoas e que teriam roubado os aparelhos celulares dela e do marido. No entanto, o aparelho foi encontrado próximo ao muro da residência.

O segundo acusado de envolvimento no crime ainda será julgado. Ele é proprietário da residência onde a pistola do PM foi encontrada, embrulhada em sacos plásticos e enterrada no quintal. A defesa dele entrou com recurso e adiou o julgamento dele que estava previsto para ocorrer junto com da condenada.

Só Notícias/Cleber Romero