Peixoto de Azevedo: Homem entra em luta corporal com PM em conveniência, quatro pessoas ficaram feridas após disparos

Segundo B.O (boletim de ocorrências), na madrugada de Domingo (04), por volta das 02:00 horas, policiais da “PM Força Tática ” faziam abordagens na Praça Central da cidade de Peixoto de Azevedo, quando ouviram estampidos de arma de fogo, em um bar, tipo conveniência, próximo ao local, cujo nome é ” No Trabalho”, quando avistaram o suspeito Maurício França Aguiar, saindo com uma arma na cintura e tentando escondê-la com a mão.

Ele foi abordado pela equipe de policiais, teve a arma apreendida e foi algemado. Os policias perceberam um sangramento na cabeça de Maurício, imediatamente, solicitaram uma ambulância do sistema de saúde, mas segundo os relatos dos PMs, a viatura da saúde, demorou a ir até o local, sendo necessário que o ferido fosse socorrido pela polícia, que o levou até o hospital, para cuidados médicos.

Ainda de acordo com o B.O, os policiais da Força Tática avistaram o SD PM Vinícius da Silva Sversuth, saindo do mesmo estabelecimento no qual houve os disparos, ele também estava, com a cabeça sangrando, foi socorrido pelo SD PM Lucas Gomes da Silva. Ao chegar no Hospital, a guarnição da PM, observou que havia mais vítimas, atingidas pelos disparos no interior da conveniência. Com apoio de uma viatura da Polícia Militar de Matupá, os policiais, continuaram os trabalhos de entrevistas no Hospital, chegaram a dois suspeitos atingidos por projéteis de arma de fogo, mais duas vítimas feridas por tiros de arma de fogo e outra que com o tumulto, caiu e foi ferida por estilhaços de vidro.

AS NARRATIVAS

O SD PM Vinícius, disse que chegou à Conveniência, juntamente com a companheira dele e teriam marcado com o SD PM Lucas, juntamente com outros colegas, para irem à casa de amigos, onde iriam confraternizar. Outro amigo dos policiais, conhecido como Raifran, também estava presente no bar “No Trabalho”. Segundo relatos do SD PM Vinícius, quando o SD PM Lucas, foi ao banheiro, viu dois rapazes indo em sua direção, quando o suspeito Maurício, desferiu um tapa, objetivando acertar o seu rosto, mas Vinícius conseguiu desviar da tentativa de agressão, momento em que outro suspeito por nome Lucas partiu para cima dele, o SD Vinícius tentou imobilizá-lo, aplicando-lhe “uma gravata”, mas o suspeito Maurício, aproveitando-se da luta corporal entre Vinícius e Lucas, tentou tirar a arma da cintura do PM.

Ao perceber a intenção de Maurício, o SD PM Vinícius, efetuou quatro disparos, mesmo assim, numa segunda investida contra o soldado, o suspeito Maurício conseguiu tomar arma de Vinícius, apontando-lhe em direção ao tórax, e , puxando o gatilho, todavia a arma não disparou, por falta de munição.

O suspeito Mauricio, teria usado a arma para desferir várias coronhadas na cabeça do SD PM Vinícius, provocando-lhe diversos ferimentos profundos na cabeça. O SD PM Lucas, acabara de sair do banheiro, quando avistara toda a confusão, viu o suspeito Lucas segurando Vinícius, enquanto Maurício continuava as agressões contra o PM imobilizado.

O SD PM Lucas, conseguiu desvencilhar o suspeito da vítima, momento em que os dois suspeitos ( Lucas e Maurício ) tentaram fugir do local, em meio ao tumulto dos frequentadores da Conveniência que corriam com medo. Os dois suspeitos foram imobilizados pela Força Tática e posteriormente reconhecidos por clientes do bar e pela companheira de Vinícius, como os agressores.

A manifestação do Comando CR15 da Polícia Militar de Peixoto de Azevedo

O Comandante da PM CEL. Gildázio Alves informou que o policial Vinícius da Silva Sversuth foi apresentado na Polícia Civil, juntamente com a arma. Por não se tratar de um crime militar. Segundo Gildázio, o Delegado Israel, vai apurar todo o ocorrido e as câmeras de segurança, locais que registraram parte do fato, serão instrumentos para auxiliar nas apurações verdadeiras da ocorrência.

A Polícia Militar abrirá um procedimento administrativo, em desfavor do policial, para apurar as possíveis transgressões disciplinares. O Ten. Cel. Gildázio Alves, salientou que cada envolvido responderá de forma solidária à cada ação criminosa que cometeu, bem como o policial que já está na DEPOL, acompanhado por um advogado e um oficial Militar. A arma calibre 380, foi apreendida e encaminhada para perícia.

A polícia já apurou que os suspeitos Maurício França Aguiar e Lucas Morais dos Santos, têm passagens criminais.